Não somos pecadores, somos todos aprendizes, por Edson Figueiredo de Abreu

Tempo de leitura: 4 minutos

Logo que lancei minha página no Facebook a primeira pergunta que me fizeram foi: Por que você colocou como “slogan” de apresentação da sua página a frase “não somos pecadores, somos todos aprendizes”?

A resposta para esta questão é na realidade muito simples e objetiva, ou seja: Porque Deus nos fez assim, exatamente como somos.

Pensem comigo – se realmente acreditarmos em Deus como o criador de tudo no Universo, o engenheiro sideral, a inteligência suprema, o plasma cósmico da existência e a energia amorosa na qual vivemos e coexistimos, temos de aceitar que ele não falha ou se engana. Assim, ele não errou conosco!

Diferentemente dos seres irracionais, Deus nos fez com a capacidade de raciocinar, observar, aprender e tomar decisões. Nos fez também com a capacidade de “racionalizar” sobre os acertos e erros cometidos, por nós mesmos e por outros. Isso é maravilhoso e não há nada de errado, pelo contrário é a forma mais inteligente, lógica e admissível de evolução e desenvolvimento do espírito.

O espírito não foi criado “pronto” e se educa lentamente pelas experiências e “escolhas” que faz!
É, então, errando e acertando, racionalizando e assumindo os equívocos que vamos nos desenvolvendo, através de nossas várias existências. E acredite!? Isso independe de você aceitar ou não a ideia da reencarnação.

No nosso dia a dia, temos uma tendência a sempre procurar o melhor para nós mesmos e para aqueles que nos cercam, assim, nossas mínimas atitudes refletem essa necessidade. Dificilmente tomaremos uma decisão “errada” de propósito para não dar certo. E também nem sempre aquelas nossas melhores decisões serão as certas, dependendo das circunstâncias, do tempo e da avaliação das pessoas.

Dificilmente você passará pela sua vida sem magoar ou ofender alguém e isso nem sempre vai depender só de você. Haverá ocasiões em que você fará o seu melhor, mas não será suficiente para agradar ou atender as expectativas do outro, quem quer que ele seja. Você não quis errar, mas acabou errando. Será que isso é realmente condenável?

Se Deus acreditou em você, por que você mesmo não acredita? Não há condenação premeditada. Deus te deu a capacidade de pensar e decidir por si. Isso é uma benção!

Nós vivemos a milênios sob falsas informações de que Deus nos condena e castiga pelos erros cometidos (isso interessa a quem mesmo?). Dezenas de religiões diferentes sobrevivem e se mantêm devido a imposição da ideia do pecado e do pecador. Isso mantem o crente sob a tutela dos pseudos emissários de Deus na Terra. E você, ao se considerar um pecador, não se ajuda em nada, pelo contrário!!

Você precisa entender que ao se considerar um pecador, você assume, sem perceber e por sua própria decisão, um processo de culpa interna e as vezes até eterna, de vergonha perante o Divino, pelos erros cometidos na ignorância. Esta situação em vez de te ajudar te prejudica muito, pois você, acreditando ser devedor, não fará muito esforço para redimir-se e consequentemente modificar-se.

Eu gosto muito daquela passagem no evangelho que fala da mulher adultera (João cap.8 – vs 1 a 12), onde apresentam a Jesus uma mulher que havia errado (adultério) e pedem para ele dizer o que fazer com ela, já que os conceitos existentes à época diziam que ela deveria ser apedrejada até a morte. Jesus então olha para a turma e propõe que cada um olhe para dentro de si, se auto analise e diga se tem condições de condenar a mulher, ou seja: “aquele dentre vós que estiver sem pecado, atire a primeira pedra”. Seguindo o conselho de Jesus, as pessoas concluíram que não poderiam condenar a mulher, já que eles mesmos cometiam seus erros. Então se afastaram, deixando a mulher a sós com Jesus.

Jesus, que teoricamente teria a devida autoridade para condenar a mulher, também não o fez. Pelo contrário, disse para ela: “nem eu tampouco te acuso, vá e não peques mais”. Para mim esse é um dos maiores ensinamentos de que Deus não nos condena premeditadamente, mas nos dá oportunidade de aprendizado. Vá e não peques mais, significa aprender com o erro, arrepender-se e seguir adiante tentando não errar mais. Só consegue seguir adiante quem se perdoa e se aceita como aprendiz e não como um pecador.

Tem uma outra mensagem no evangelho (João, cap. IX, vv. 39 a 41) em que Jesus alerta sobre a questão da responsabilidade adquirida, a partir do conhecimento e entendimento. A mensagem diz o seguinte: “Também nós, então, somos cegos? Respondeu-lhes então Jesus: Se fôsseis cegos, não teríeis pecados; mas, agora, dizeis que vedes e é por isso que em vós permanece o vosso pecado”. Precisamos entender que os erros cometidos por nós enquanto não tínhamos consciência e a compreensão corretas, servem de aprendizado para o nosso processo de evolução (agora que vedes). São exatamente os nossos erros e acertos cometidos até então, que nos transformam e nos tornam o que somos hoje. Nos erros, fomos até então protegidos pela ignorância e, agora que os reconhecemos, não devemos ficar nos cobrando, mas seguir em frente a partir do entendimento e, se possível, na reparação.

Esse é o processo de conhecimento, experiência e evolução do Espírito!!

Um conselho que sempre dou nas minhas palestras é: em qualquer análise que você faça de si mesmo e de suas atitudes, substitua a palavra “pecador” pela palavra aprendiz. Parece pueril essa ideia, mas se você fizer isso no seu dia a dia, se aceitar a ideia de que está num processo continuo de aprendizado, você se tornará uma pessoa diferente. Você será mais jovial, terá mais equilíbrio, mais tranquilidade, não se cobrará tanto, se aceitará e estará em paz consigo e com Deus. Suas relações interpessoais serão melhores e você também passará a aceitar os erros alheios com mais frequência. Enfim, você será uma pessoa feliz e fará feliz os que se relacionarem com você.

Lembre-se: vá e não peques mais, porque você não é um pecador mais um aprendiz!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.