EDITORIAL: LEI DO TRABALHO: CONTEXTOS, SONHOS E DESAFIOS

Tempo de leitura: 3 minutos

Do que é composta a jornada do ser espiritual, encarnado ou não? Qual sua relação com a labuta diária de sobrevivência, progresso ou reflexão? Como podemos atualmente compreender as mais variadas situações das relações entre sistema trabalho versus trabalhador?

Nos acostumamos, nas instituições espíritas, com o bradar de que tudo se resolve com “trabalho” e que devemos ter uma única visão em relação ao tema. Multiplicam-se, no chamado movimento espírita, mensagens mediúnicas que falam de “trabalho, trabalho, trabalho” como um mantra salvacionista.

A Revista Harmonia sabe que não é assim que se analisa um tema de tamanha importância. Por isso, nesta edição, reuniu alguns de seus livre pensadores com o desafio de desenvolver uma edição plural, com o tema inserido nas Leis Morais de O Livro dos Espíritos: “Lei do trabalho: contextos, sonhos e desafios”. O resultado é um frescor de novas abordagens e pensamentos contemporâneos.

Nossa edição abre com o significativo texto “Em tudo é o mesmo suor”, de Marcus Vinicius de Azevedo Braga. Ele traz uma visão crítica do cenário do trabalho atual, com explorações de todos os matizes e o que isso significa na visão do espiritismo. Quando o trabalho é exploração? Quando ele traz progresso? Quais os tipos de escravidão vivemos nos dias atuais?

Em seguida, temos o artigo “O Homem e o Trabalho”, de Ida Della Monica, que fala da responsabilidade de um país, ao proporcionar aos seus cidadãos e cidadãs o trabalho e o progresso, contra o desemprego e a estagnação. Exalta a criatividade para o impulso necessário à construção de sociedade. Unindo mente e coração ou, como ela explica, “a razão e a intuição”.

Vítor Ronaldo Costa (in memoriam) traz, em “O Trabalho como fator de evolução”, os significados do trabalho, sua importância como aprendizado na reencarnação e como ferramenta para manter a mente em tarefas úteis, contra ruídos mentais que podem atrasar o progresso.

Nosso decano, Nelson dos Santos, aborda, no artigo “O fator evolutivo do Trabalho”, a relevância da transcendência do trabalho, com referências em Allan Kardec e Herculano Pires, a mostrar a responsabilidade do espírito imortal em sua caminhada evolutiva, apreendendo, progredindo e vencendo desafios.

Alberto de Souza Rocha fala, no texto ”Trabalho e Evolução”, sobre os objetivos e conquistas espirituais adquiridas por meio do trabalho, chamando ele de essencial enquanto pilar da evolução humana. Jesus, Paulo de Tarso e a obra de Kardec como arcabouço que demonstra que o trabalho é o “melhor remédio contra toda sorte de pensamentos corrosivos da mente.”

Em um texto preciso, consciente e altiva reflexão, Leopoldina Xavier destaca, em “O homem sem Trabalho não pode evoluir”, as mazelas geradas pelo conceito de trabalho na civilização atual: a opressão, o desemprego, a baixa remuneração, a ausência de leis, sublinhando que a necessidade humana e o progresso individual “não pode se submeter a nenhum pretexto de ordem econômica para se sobrepor à proteção da dignidade e da valorização do ser humano”.

Para finalizar, Marcelo Henrique, em “Trabalhador sim senhor!”, recorre à sua vivência de décadas no movimento espírita, para ilustrar a relação dos trabalhadores espíritas com as casas espíritas e suas implicações legais. Marcelo traz Kardec, lições do mestre Jesus e reflexões atuais: “Para as coisas da matéria, atitudes e cuidados materiais. Para as espirituais, a atenção para que façamos o melhor que esteja ao nosso alcance, sempre.”

Desejamos que você aprecie a edição de fevereiro e confirme, novamente, que o conhecimento não é estático, pois, estamos em evolução constante. Não podemos separar o ser espiritual do seu progresso, seja no trabalho ou nos seus sonhos de realização. Ou, como diz Milton Nascimento em Comunhão, “Eu quero sempre a utopia, O homem tem de ser comunhão, A vida tem de ser comunhão, O mundo tem de ser comunhão, A alegria do vinho e o pão, O pão e o vinho, enfim, repartidos.”

Ler a Revista Harmonia também é um tipo de trabalho: o do esclarecimento e enriquecimento pessoal.

Amor e Paz.

Júlia Schultz e Manoel Fernandes Neto

OS TEXTOS DA EDIÇÃO

EDITORIAL: LEI DO TRABALHO: CONTEXTOS, SONHOS E DESAFIOS

Em tudo é o mesmo suor, por Marcus Vinicius de Azevedo Braga

O Homem e o Trabalho, por Ida Della Monica

O Trabalho como fator de evolução, por Vítor Ronaldo Costa (in memoriam)

O fator evolutivo do Trabalho, por Nelson Santos

Trabalho e Evolução, por Alberto de Souza Rocha

O homem sem Trabalho não pode evoluir, por Leopoldina Xavier

Trabalhador sim senhor!, por Marcelo Henrique

Administrador site ECK

Written by 

Postagem efetuada por membro do Conselho Editorial do ECK.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.