Entrevista: Marcelo Henrique

Tempo de leitura: 5 minutos

Entrevistado
MARCELO HENRIQUE PEREIRA
advogado, administrador público, escritor, jornalista, coordenador-geral do grupo “Espiritismo COM Kardec – ECK” e presidente do Centro Cultural Espírita Herculano Pires (SC).

Seu perfil resumido para conhecimento dos nossos leitores.
Acima de tudo, kardeciano. Vinculado aos pressupostos maiores da Doutrina dos Espíritos: laico, livre-pensador, humanista, progressista. Atuo na área governamental/pública desde 1989, mesmo tempo em que exerço o magistério (atualmente em cursos de pós-graduação). Me graduei em Direito e Administração Pública, esta última recentemente, ambas na UFSC. Cursei Jornalismo e atuei/atuo no rádio e na imprensa escrita e eletrônica. Fui Editor-Chefe da Revista Espírita Harmonia, periódico impresso (1987-2010), atualmente em formato eletrônico (www.comkardec.net). Atuei dezessete anos à frente da Associação Brasileira dos Divulgadores do Espiritismo (Abrade), como secretário executivo e membro do Conselho Federativo Nacional (CFN) da Federação Espírita Brasileira (FEB). Delegado e membro da diretoria por dois mandatos, da CEPA Associação Espírita Internacional. Membro da Associação de Estudos e Pesquisas Espíritas de João Pessoa (ASSEPE) e do Centro de Pesquisa e Documentação Espírita (CP-Doc). Durante cinco anos, representei, com mais dois companheiros, o movimento espírita no Conselho Nacional de Saúde (CNS), órgão paritário e de representação social junto ao Governo Federal. Atuei/atuo no movimento sindical de servidores públicos, desde 2000, tendo sido presidente de sindicato e federação nacional e vice-presidente de confederação das carreiras típicas de Estado. Atualmente integro as diretivas desta confederação e da central sindical dos servidores públicos do Brasil. Expositor espírita com trabalhos apresentados em diversas cidades de Santa Catarina, do Brasil e da Argentina. Escritor com quatro livros publicados e articulista de diversos periódicos impressos, inclusive a Revista “Reformador” e de blogs e sites jurídicos e espíritas.

Há quantos anos está envolvido com o Espiritismo?
Desde 1981, quando deixei a Igreja Católica e me tornei associado da Sociedade Espírita Tereza de Jesus (SC). Atuei no movimento espírita regional, estadual e nacional, até 2020. Atualmente, minhas atividades estão concentradas no Centro Cultural Espírita Herculano Pires (CCEHP) e no Grupo Espiritismo COM Kardec (ECK).

O que andou fazendo no movimento nos últimos cinco anos?
Muita coisa. Além das atividades acima descritas, desenvolvemos o projeto COM Kardec, que tem como carros-chefes o grupo no Facebook (com praticamente treze mil integrantes), um site, um canal no YouTube e a programação de lives sobre temas de interesse do público espírita, alguns “agudos” e “polêmicos”, além de eventos presenciais e virtuais. Também idealizamos e alimentamos o canal “Espiritismo Descomplicado”, no YouTube, que consiste em vídeos de curta duração sobre assuntos da Filosofia e Ciência Espíritas. E o personagem “Kardec Da Real”, que leva a mensagem filosófica espírita com humor e descontração. Além de um canal no Instagram e outro no TikTok.

Algo mudou no entender e fazer Espiritismo contextualizado no seu aspecto filosófico?
Mudou significativamente. Herculano Pires costumava dizer que “fala-se muito em Espiritismo, mas poucos o conhecem”, nas décadas de 1960-70, do século passado. Cinquenta anos se passaram e o contingente de espíritas (associados, adeptos, frequentadores e simpatizantes) aumentou significativamente, a ponto de ter-se a estimativa de que 3 a 4% dos brasileiros são declaradamente espíritas. Mas muito poucos conhecem, de fato, o Espiritismo, em seu componente filosófico (estrutural, doutrinário), e têm contato com literaturas paraespíritas, publicadas desde as primeiras décadas do século passado e até hoje, como romances e livros com informações de caráter esotérico ou espiritualista. Também, estuda-se muito pouco o Espiritismo e, na maioria dos grupos, prefere-se o conteúdo apostilado, com uma lista (sem fim) de obras mediúnicas e com pouquíssimo respaldo em Kardec. A Revista Espírita, em seus volumes anuais e fascículos mensais, publicada por Kardec (1858-1869) prossegue sendo um material ignorado pelos espíritas em geral, não obstante o seu caráter de “laboratório” de pesquisas e ensaios do Espiritismo. Ainda assim, a filosofia parece não atrair o grande público espírita, preocupado com a resolução de seus problemas individuais, por meio de passes, atendimentos fraternos e palestras de conteúdo confortante e moral, não se interessando pelos elementos de ciência e filosofia.

O que acha dos grupos e coletivos espíritas progressistas que estão surgindo no movimento com a ousada proposta de politizar as causas sociais defendidas pelo Espiritismo?
Atuamos, há alguns anos, em um destes grupos progressistas (Espíritas Progressistas) que tem um grupo e uma fanpage no Facebook. Acompanhamos e mantemos intercâmbio, quando possível, com vários coletivos e grupos progressistas, trocando informações e experiências e divulgando iniciativas. O Espiritismo, em essência, é progressista e progressivo. Progressista porque comprometido com as mudanças (individuais e coletivo-sociais), amparado na terceira parte de “O livro dos Espíritos” e voltado à consecução, na Terra (de provas e expiações) de um patamar mais adequado de Justiça Social, combatendo todo tipo de preconceito e violência. A este respeito, em janeiro último, foi veiculado na revista “Reformador”, um artigo que escrevemos sobre a necessária discussão e engajamento dos espíritas em pautas sociais (“Doutrina Espírita não combina…”), que pode ser lido, também, na página de uma instituição parceira do ECK (Sociedade Espírita Nova Era), no endereço (https://se-novaera.org.br/doutrina-espirita-nao-combina/).
Vale salientar, ainda, que o ECK também realiza atividades no âmbito do respeito à diversidade sexual, por meio de um projeto chamado “Rede Espírita contra a LGBTfobia), para o esclarecimento em relação à liberdade de consciência e expressão no âmbito da sexualidade, a convivência plural e respeitosa entre todos os encarnados e a busca pessoal pela felicidade.

Como entender o Espiritismo defendendo as causas sociais sob a bandeira de um sistema político ineficiente e corrompido?
Em consequência do que afirmamos na resposta à questão anterior, com a efetiva análise do conteúdo contido nas trinta e duas obras de Kardec (e os espíritas em geral pensam que são, apenas, cinco!), que é eminentemente socializante e progressista, indutivo da participação efetiva dos encarnados na construção de sociedades mais harmônicas, justas e felizes. É curioso porque o discurso-padrão nas instituições ditas espíritas é que “tudo está no comando da Espiritualidade” ou que “os mentores espirituais vão conduzir o planeta para a etapa de regeneração”, descurando das inúmeras advertências das Inteligências Superiores, contidas nas obras kardecianas, de que a tarefa dos homens compete a eles e que os desencarnados intuem as boas realizações, por meio da afinidade de propósitos e das vinculações de objetivos. Em nenhum momento, os Espíritos que estiveram trabalhando junto a Kardec, ditando mensagens e respondendo às indagações do professor francês, “terceirizaram” o papel dos humanos, como se estes fossem “funcionários” do Plano Superior. A Lei do Progresso é inexorável, mas somente aqueles que forem imbuídos de boas intenções e colocarem suas forças a serviço do bem é que terão a meritória consequência do seu próprio aprimoramento, influenciando no progresso social. Os demais ficarão “pelo caminho”.

Suas considerações finais, com o nosso agradecimento por sua colaboração nesta pauta especial para a nossa CEI Paraíba.
Agradecemos o carinho do espaço neste conceituado periódico. Registramos a nossa satisfação por poder “reencontrar” ainda que virtualmente o companheiro Carlos Barros com quem dividimos atribuições espíritas em algumas áreas da divulgação e imprensa espíritas. Deixamos, para o leitor interessado, os endereços de algumas de nossas principais atividades, convidando a todos para a reflexão e a ação, espíritas, a partir dos conteúdos de textos, documentos e vídeos.

Site ECK – www.comkardec.net
Grupo ECK no Facebook – https://www.facebook.com/groups/Espiritismo.COM.Kardec
FanPage Kardec Da Real – https://www.facebook.com/kardec.da.real
Canal ECK no YouTube – https://www.youtube.com/c/EspiritismoComKardec
Canal Espiritismo Descomplicado no YouTube – https://www.youtube.com/c/EspiritismoDescomplicado
ECK no Instagram – https://www.instagram.com/espiritismo.com.kardec/
ECK – Kardec Da Real no TikTok – https://www.tiktok.com/@comkardec?
FanPages institucionais – https://www.facebook.com/Espiritismo.Com.Kardec/ e https://www.facebook.com/EspiritismoCOMKardec.ECK
FanPages temáticas – Kardec Obras Fundamentais (https://www.facebook.com/kardecobrasfundamentais); Rede Espírita contra a LGBTfobia (https://www.facebook.com/redespiritacontralgbtfobia/); e, Estudos da Doutrina Espírita (https://www.facebook.com/EstudosdaDoutrinaEspirita/).

João Pessoa (PB), novembro de 2021.
Carlos Barros,
Editor e redator
responsável.

PS -Nota – Entrevista publicada no jornal “Kardec Ponto Com”, edição n. 103, de novembro/dezembro de 2021.

Administrador site ECK

Written by 

Postagem efetuada por membro do Conselho Editorial do ECK.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.